adsense

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Crack: A Epidemia

Conexão Reporter (SBT): A Epidemia



No Conexão Repórter (SBT) desta quinta-feira, 26 de fevereiro de 2012, um documento completo e contundente sobre o mundo do crack. Detalhes da droga como nunca se mostrou! Roberto Cabrini passou a noite na Cracolândia e contou histórias de cidadãos perdidos no vício. São depoimentos emocionantes. Uma pedra devastadora que, certamente já atingiu alguém muito próximo a você. São imagens fortes de viciados sendo resgatados. Acompanhamos o drama da mãe que abandonou tudo: família, trabalho, casa e a própria vida para viver na rua com o filho viciado.






Primeiros dias de 2012. Uma grande operação da Polícia Militar toma as ruas da Cracolândia no centro de São Paulo. A ação tem o objetivo de combater o tráfico de drogas, diminuir a criminalidade e recuperar viciados. Entre uma conversa e outra, usuários de crack seguram seus cachimbos e pedem dinheiro para sustentar o vício. Nos ultimos anos, o crack virou uma epidemia. São 600 mil usuários de crack no Brasil. Autoridades do Rio de Janeiro também tomam uma atitude polêmica: a internação a força para limpar as ruas da cidade. Acompanhamos uma dessas operações. Chegamos no Parque União, no Complexo da Maré. Policiais armados participaram do trabalho para a segurança dos funcionários da Prefeitura. Um menino, menor de idade, não quer ser levado. Ele resiste e é preciso duas pessoas para carregá-lo. Uma outra usuária de crack está grávida. Ela chora e resiste. Os viciados parecem estar alterados. A fala é confusa. No final da operação, a grávida e um jovem conseguem fugir. Os menores de idade são levados para casas, onde passam por uma triagem e em seguida são levados para os abrigos.




Corpos franzinos, rostos desfigurados. Usuários de crack perambulam sem rumo, viajam em suas alucinações e tomam as ruas de várias Cracolândias espalhadas pelo país. São Paulo, Rio de Janeiro, Acre. São nessas regiões que se concentram as operações para resgatar os chamados nóias. A chamada: uma internação forçada de um dependente de crack, a luta pela superação. O viciado, neste caso, é um jovem de 21 anos. Nossa equipe acompanhou o dia de uma equipe de resgate de dependentes químicos. Confuso, depois de conversar com médicos, o rapaz decide ir para uma casa de recuperação. O viciado daqui pra frente vai enfrentar grandes desafios. Um caminho nada fácil. Mas como é possível a cura do crack?




Estudos mostram que a maioria dos usuários de crack só consegue ganhar do vício quando se apega a uma religião. Marcos Pereira, um famoso pastor faz esse trabalho de tirar jovens das Cracolândias do Rio. Em seu arquivo pessoal tivemos acesso a vídeos de pessoas que ele conseguiu salvar. Imagens chocantes. Viciados fumam o crack e usam a droga compulsivamente. Thiago, um ex-viciado foi resgatado pela equipe do pastor. Recebeu tratamento, conseguiu um emprego e agora está um novo Thiago. Hoje ele trabalha como pedreiro e sonha com um futuro melhor. Francisco é outro ex-viciado que também fumava crack ao lado de Thiago. Hoje ele também está recuperado, com 10 quilos a mais e com um emprego.




Durante nossa reportagem encontramos uma história emocionante. David um jovem, que como muitos também é viciado em crack. Conhecemos sua realidade de perto. Foram muitos momentos de convivência. A mãe abandonou a vida confortável para morar junto com o filho drogado. Sensibilizados por esta realidade, a família resolveu tentar ajudar David. Depois de muita conversa, parentes e pastores conseguem convencê-lo a se tratar. Semanas depois, visitamos o local onde David estava internado. Para a nossa decepção, o jovem saiu da clínica e abandonou o tratamento com apenas uma semana. Semanas depois encontramos David nas ruas de São Paulo. Ele explica que saiu da clínica por causa da namorada, que também abandonou o tratamento em uma casa de recuperação feminina. David perdeu a batalha, perdeu para a vontade incontrolável do crack. O crack é potente, devastador, o fim da linha. Leva a dependência extrema, mas é possivel sim a recuperação. Além de cuidados médicos, é preciso muita muita perseverança e vontade de vencer, vontade de viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões de atividades e melhorias que podemos implementar no blog. Serão muito bem vindos e avaliados com carinho.